Moradores do centro comemoram pavimentação das Ruas Padre Feijó e Manoel da Nóbrega

A prefeitura de Candeias realizou na manhã desta quarta-feira, 21, o sonho dos moradores das Ruas Padre Antônio Feijó e Padre Manoel da Nóbrega. Durante evento realizado na comunidade o prefeito Dr. Pitágoras assinou a ordem de serviço para pavimentação das localidades, que terá 400m de pavimentação em paralelo, drenagem e muro de contenção.

O prefeito destacou a importância desta rua para a cidade de Candeias, que também irá contribuir para desafogar o trânsito o centro, e da importância da união entre o legislativo e executivo, para o bem do povo, lembrando que o vereador Diego Maia foi o autor, mais recente, da proposição. “ Vi o quanto estas pessoas necessitavam morar em um local com mais dignidade e com a pavimentação os moradores terão uma rua mais acessível e com melhor saneamento.  Ao longo de um ano e meio estávamos nos programado para realização desta e de outras obras que contemplarão mais ruas da sede e dos distritos. Muitas coisas boas ainda estão por vim” finalizou o prefeito.

Para o morador Marcio Pita este dia é um marco pois reside no local há 37anos e nunca viu melhorias para a comunidade, “ Estou muito feliz pois hoje é dia de festa, via aqui as pessoas sofrerem com a lama no período de chuvas e poeira no verão, a prefeitura está devolvendo a nossa dignidade, agradeço a Deus por esta realização” ressaltou Marcio.

Em seu discurso o vereador Diego Maia, expressou sua alegria com o início da obra e agradeceu a sensibilidade do gestor ao apelo da comunidade “ Hoje é um dia muito feliz para esta comunidade sofrida, que apesar de ser uma rua no centro da cidade estava esquecida, agradeço a sensibilidade de atender mais que o pedido de providência da Câmara de Vereadores, mas um pleito do povo de Candeias” enfatizou o edil.

Daiane Santos já está respirando aliviado por conta da obra. “Acabaram-se os dias em que eu e meus filhos usávamos sacos plásticos nos pés para sair de casa. Foram 25 anos tendo que sair com saco no pé e contar com a solidariedade de uma vizinha da rua de baixo para lavar os pés“, desabafou Daiane.